Nos dias de hoje, com aquecimento global, falta d’água e tantos outros problemas ambientais em voga, muitas casas e edifícios já estão sendo projetados pensando no melhor para o meio ambiente.

Se não é o seu caso ou se você ainda está construindo e pensando em tudo, não se preocupe! 

Neste post, você vai conferir algumas dicas de como ter uma casa mais amiga do ambiente, não apenas externamente, como internamente.

Já pega papel e caneta e continue lendo para saber mais! É muita dica boa!

Reciclagem é simples e não custa nada

Engana-se quem pensa que ter uma casa sustentável tem a ver com custos caros e muito trabalho. Esse pensamento já está ultrapassado. 

Você pode começar pelo básico sem gastar nada ou gastando muito pouco! 

Quer ver como? 

Que tal separar o lixo da sua cozinha em reciclável e orgânico para facilitar o trabalho da coleta seletiva? E o que me diz de separar também o reciclável em sacos diferentes para papel, vidro, alumínio e metal?

Para o processo de reciclagem, onde matérias-primas usadas são transformadas em novos produtos, já é um grande adianto. Verifique no seu município os horários de coleta do lixo, se há coleta seletiva e o que você pode fazer, além disso, para ajudar.

Separar o lixo reciclável do lixo comum é fácil, prático e não custa nada. Ganha você, ganha a organização da sua cozinha e ganha o meio ambiente!

Ah! E ainda tem mais, se você tiver um jardim ou um quintal em casa, além de reciclar, você também pode usar os resíduos orgânicos para fazer compostagem. Sabia que restos de alimentos e aparas de jardinagem podem servir como adubo natural para as suas plantas? 

Saiba mais: Ar-condicionado natural: refresque a sua casa 

Terra, Planeta Água

Com as grandes estiagens que vem ocorrendo durante o ano, muitos municípios estão sendo obrigados a fazer racionamento de água. Mas você não precisa esperar isso acontecer para fazer a sua parte!

Uma ação relativamente simples, que até poderia estar no outro tópico, diz respeito à reutilização da água. 

A água que cai da máquina quando lavamos roupa, por exemplo, ou mesmo a que vai pelo ralo no próprio banho, já pode ser reservada e utilizada para lavagem de calçadas, quintais, carros e o que mais a sua imaginação permitir.

Outra dica, talvez não tão simples, mas que vale a pena, é a instalação de um sistema de captação da água da chuva.

Através de calhas e tubulações, a água pode ser armazenada (sempre tampada) e utilizada para molhar o jardim e até nas descargas.

Que tal utilizar a luz do sol?

Os aquecedores solares também são uma excelente forma de manter a casa mais sustentável. Quando utilizamos o sol para geração de energia de aquecimento para a água, por exemplo, temos o que é chamado de aquecimento solar térmico.

Este tipo de aquecimento, como toda energia solar, além de gratuito, não emite carbono e tem um bom custo benefício, uma vez que não será mais necessária a utilização de chuveiros elétricos e isso reduzirá a conta de energia elétrica.

Já fizemos um post completo sobre o assunto. Confira!

Eficiência energética e de gastos com o seu bolso  

Ok, não dá para você instalar as placas de aquecimento solar? 

Não tem problema, você pode investir também em sistemas de iluminação LED, que consomem menos energia. 

Ao substituir as lâmpadas tradicionais por lâmpadas de LED, você, além de contar com uma maior durabilidade desses produtos, tem 80% de redução na energia gasta em comparação com as lâmpadas incandescentes, resultando em uma redução significativa na conta de energia elétrica.

Você também pode adquirir apenas eletrodomésticos que possuam o selo de eficiência energética. 

A classificação pode variar de A (mais eficiente) a G (menos eficiente). Opte por aparelhos com classificação A ou superior, que consomem menos energia durante o uso diário.

Além de contribuir para o meio ambiente, a eficiência energética contribui também com o seu bolso!

Continue no assunto: Meio-ambiente: como construir sem impactos

Sustentabilidade até na decoração e no jardim 

Vai fazer obra? Reformar a sua casa? Está pensando em mudar o seu jardim?

Caso a resposta para essas perguntas seja sim, para finalizar, fica também a dica de você usar materiais sustentáveis e criar um jardim sustentável.

Você pode usar madeira certificada e que apoia práticas de manejo florestal responsável, optar tintas à base de água ou tintas naturais, que têm menos compostos orgânicos voláteis (COVs) e, ainda, utilizar revestimentos feitos a partir de materiais reciclados, como azulejos de vidro reciclado, pisos de madeira reaproveitada ou carpetes fabricados com fibras recicladas.

Aposto que você nem sabia que isso tudo existia, não é mesmo? Mas é para isso que estamos aqui 😁

Dica de leitura: Construa uma casa autossustentável 

Já no caso do jardim, além da compostagem que falamos lá em cima, que pode servir de adubo natural, você pode ter um com plantas nativas e adaptadas ao clima local, reduzindo a necessidade de irrigação e uso de produtos químicos. 

Fora isso, vale utilizar técnicas de xeriscaping, que consistem em planejar o paisagismo de forma a reduzir a necessidade de irrigação. 

Isso inclui o uso de plantas resistentes à seca, a aplicação de cobertura morta no solo para reter a umidade e o aproveitamento de águas pluviais.

Por fim, mas não menos importante, se possível, implante sistemas de drenagem ecológica. 

Eles permitem a infiltração da água da chuva no solo, reduzindo o escoamento superficial, e podem incluir a criação de áreas permeáveis, como canteiros de chuva e valas de infiltração, que ajudam a recarregar o lençol freático.

Viu como não é tão difícil ter um lar amigo do ambiente? Se conseguir combinar com uma vida mais saudável, melhor ainda. Basta colocar em prática! 😉

As academias ao ar livre despertam a atenção pelo seu fácil uso, qualidade e benefícios que podem trazer à nossa saúde. Confira 7 atividades e aparelhos para praticar nas academias ao ar livre, sucesso nos empreendimentos Soma Urbanismo!