Em 2020, a construção civil, como outros setores da economia, vem sofrendo alguns impactos devido à pandemia. Mesmo assim, foram registradas menos demissões no segmento, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Saiba mais!

 

Queda de demissões 

Mesmo com a pandemia do coronavírus, a construção civil em 2020 está se destacando na manutenção de empregos!

Prova disso são os dados da Base de Gestão de Seguro-Desemprego (BGSD) divulgados pelo Ministério da Economia recentemente.

De acordo com o levantamento, o setor, em abril desse ano, mês do agravamento da pandemia, teve 53,8 mil requerimentos de dispensa. Isso representa 8% a menos de demissões comparado a abril de 2018, que houve 58,5 mil solicitações do auxílio empregatício. 

 

Resultado positivo também no quadrimestre

O resultado positivo não está restrito apenas ao quarto mês do ano, mas também ao quadrimestre.

O número de solicitações pelo seguro-desemprego por trabalhadores da construção civil foi 11,55% menor entre janeiro e abril deste ano (204 mil), ao compararmos com o mesmo período do ano passado (231 mil). Uma diferença de aproximadamente 27 mil requerimentos. 

Uma boa notícia, não é?

 

Motivos de bons resultados 

Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), entre os motivos para esses bons resultados está a possibilidade de continuação das obras dos empreendimentos, desde que respeitados os cuidados necessários na prevenção do novo coronavírus. 

Além disso, o que também pode ter proporcionado menos demissões é a série de medidas criadas pela Caixa Econômica Federal tanto para as empresas, como para aqueles que desejam comprar o imóvel próprio. De acordo com o banco, a partir da liberação de R$ 43 bilhões para o financiamento da casa própria, cerca de 5,5 milhões de famílias podem ser beneficiadas e 1,2 milhão de empregos mantidos.

 

Saiba mais aqui!