Cuidar da limpeza de um lote é uma tarefa mais fácil do que imaginam, mas nem todos colocam em prática.

Basta sair na rua e andar um pouquinho por aí. Não é incomum nos depararmos com diversos lugares abandonados, com grande quantidade de lixo acumulado e alta proliferação de animais e insetos como ratos e baratas, que geram doenças.

Às vezes não precisa nem disso. A sujeira pode estar ao nosso lado, com nosso próprio vizinho deixando tudo imundo e jogado às traças, gerando constrangimento e más relações com toda vizinhança.

Não tem necessidade de ser assim, né?

Por isso reunimos algumas formas relativamente simples para limpeza dos lotes, dos menores aos maiores.

Por conta própria

É importante dizer que a responsabilidade de limpeza do lote é do proprietário, portanto, caso prefira, ele mesmo pode limpar.

Dependendo da altura do mato, um simples varrer já pode fazer toda a diferença. Juntar as folhas e demais lixos em um saco plástico e destinar para a coleta seletiva do bairro também.

Caso a grama esteja muito grande, uma opção é adquirir um aparador, que não é tão caro (os preços são a partir de R$ 150) e tem grande funcionalidade.

Através de um capinador

Outra alternativa para limpeza do lote é a contratação de um capinador. Dependendo do tamanho do lote (costuma-se cobrar por metro quadrado), o valor pode variar de R$ 40 a R$ 100 por dia.

O profissional deixa o terreno limpinho, aparado e, dependendo, até com inseticida para as pragas.

Uma boa pedida!

Trator ou prefeitura

Para os lotes maiores, o trator (não precisa ser muito grande) é uma opção razoável. Ele também deixa o mato mais baixo, cerceado e livre de doenças.

As prefeituras também costumam fazer, com certa frequência, mutirões de limpeza pelos municípios para eliminar focos da dengue, por exemplo, e podem retirar o lixo e o entulho do terreno (com a cobrança de uma taxa).

Mais do que escolher o método de limpeza utilizado, o importante mesmo é manter tudo em ordem para evitar problemas.

Caso o proprietário descumpra com esse dever, ele pode ser pego pela fiscalização, sendo notificado e multado pela prefeitura. O acúmulo de lixo pode ser caracterizado como crime ambiental.

Fique ligado!